Polonês realiza palestra para jovens da rede pública de Paraíba do Sul.

Srº Aleksander fala sobre sua vida na época do Holocausto.

Aconteceu nesta terça-feira (06), no Salão da Matriz de Santo Antônio, uma palestra com o Senhor Aleksander Henryk, que vivenciou momentos de horrores durante a IIº Guerra Mundial.
   A palestra foi uma iniciativa da direção do Colégio Estadual Bezerra de Menezes em parceria com seu Grêmio Estudantil.
         Antes da guerra Aleksander era filho único de uma família de classe média , quando as forças de Hitler invadiram a Polônia foi feito o Gueto de Lodz , e Aleksander e sua família foram enviados ao Gueto de Lodz , as condições no Gueto eram terríveis , pois no Gueto havia mais de 150.000 judeus em um espaço em que apertados deveriam ficar 25.000.Tinha 11 anos , além disso os alimentos eram escassos , a família de Aleksander sofreu muito.
Quando Aleksander tinha 11 anos o governo anunciou que no dia seguinte todos teriam de ir a escola sem falta, mas ao saber disso o pai de Aleksander o proibiu de ir e o escondeu na casa de sua avó, e se sucedeu que todos os estudantes da escola dele foram executados, ele sendo o único sobrevivente.
Com a invasão soviética os judeus do Gueto foram enviados a Auschwitz , os Judeus eram escolhidos para ir para Auschwitz através de uma seleção . No inicio a família de Aleksander se escondia das seleções , pois nenhum judeu no gueto sabia para onde os nazista estavam levando os judeus, seu esconderijo era em uma porta camuflada pelo pai dele, onde também se escondiam alguns de seus vizinhos, sendo que certa vez enquanto se escondiam a filha pequeno de uma de suas vizinhas com apenas 5 meses começou a chorar e para abafar o choro a cobriram com vários cobertores, mas quando a descobriram ela estava morta, chocando Aleksander
Srº Aleksander e integrantes do Grêmio Estudantil.
Mas a fome fez com que a família de Aleksander se entregasse aos nazistas . Chegando em Auschiwitz a mãe de Aleksander desapareceram provavelmente elas foram mortas . O Aleksander e o seu pai continuaram juntos, eles foram enviados a outros campos de concentrações e também foram enviados a campos de trabalho. mas o pai de Aleksander foi morreu por não resistir as semanas da ´´marcha da morte´´ de mais mais de 500 quilômetros, entre vários campos de concentração. Aleksander foi salvo pelas tropas que interceptaram o trem que o levava de um campo de concentração para outro. Quando as tropas interceptaram o trem Aleksader estava num estado conhecido como ´´estado mulçumano´´ o estado mulçumano , o estado mulçumano é quando a pessoa fica sem sentimentos e fica paralisada , mas um senhor desconhecido, falando uma liga que até hoje Aleksander desconhece, deu leite para Aleksander e depois de beber o leite Aleksander saiu do estado mulçumano . Após isso Aleksander foi a um centro de refugiados em que foi alimentado e recebeu roupas, até que deram a ele a opção de ir para outros países entre eles África do Sul e Estados Unidos que foi seu escolhido e após morar nos Estados Unidos lembrou de uma conversa que teve com seu pai, em que combinaram que se fossem separados mas sobrevivessem o ponto de encontro seria no Rio de Janeiro na casa da tia de Aleksander.

Matéria Exclusiva Blog Paraíba do Sul On-Line.

2 comentários:

Carlos Eduardo Magdalena Pereira o Maninho Magdalena desde criancinha disse...

Belíssima iniciativa do grêmio estudantil. Sem dúvidas, esses ex-combatentes da II Guerra Mundial são a memória viva desse capítulo da história. Muito lamento por não poder estar presente.
Parabéns mais uma vez a todos.

Professor JR Crivelaro disse...

Muito interessante essas palestras, na certa trouxe motivação para os alunos já cansados dos livros didáticos. Parabéns aos idealizadores.